Carta Aberta à Sociedade do século 21

Carta Aberta à Sociedade do século 21

Vida Urbana

Administrador do Site

Hoje eu gostaria de falar com você – o artesão que está providenciando as ferramentas para que os pioneiros do amanhã façam esse mundo melhor para as gerações seguintes. Quanto você realmente acha que progredimos no século 21?
Já tem um tempo que eu vi do que realmente somos capazes, e do que sempre fomos capazes: guerra, genocídio, crueldade com animais, abuso de crianças, desigualdade de gêneros e raças e muitas outras atrocidades que, se for listar todas demoro pelo menos 4 anos – isso com sorte. Parece que William Golding acertou quando escreveu “O senhor das Moscas” com a intenção de mostrar que a humanidade sempre será dividida entre duas forças opostas: selvageria e civilização.
Muitos, inclusive eu, esperaram que com pessoas iluminadas como Martin Luther King, Madre Teresa, Nelson Mandela, o Dalai Lama; e com guerreiros como Gloria Steinmann, Marian Wright Edelman, Harry Hay e Roy Wilkins – tivéssemos aprendido a esquecer tudo aquilo que nos dividiu, que nos prendeu e nos oprimiu. Entretanto, com os últimos dados que li sobre bullying, percebi que não é o caso.
Em comparação com todos os outros problemas da humanidade, bullying parece pequeno e insignificante, quando na verdade é o cerne de tudo.
 O dicionário define bullying como: “pessoa que é constantemente cruel ou dominador, especialmente com pessoas menores ou mais fracas. ”
 Stopbullying define como: “comportamento agressivo e indesejável entre crianças escolares, envolvendo um desbalanço de poder real ou percebido. O comportamento é repetido ou tem potencial de ser repetido ao longo do tempo”
Entretanto, a noção de que apenas os menores, fracos e jovens são vítimas de bullying há muito tempo caiu por terra e sabe-se hoje, em todos os lugares, que qualquer um que esteja contra o fluxo com individualismo ou liberação, qualquer um que desafie as regras sociais que a humanidade criou para conter os outros, é ameaçado e abusado.
Quando afundamos tanto?
Minha frustração com isso surgiu de uma viagem recente à África do Sul, onde uma mulher (casada, aliás) sentiu a necessidade de apimentar a vida sexual e mandar uma foto de seu órgão genital ao seu marido. Infelizmente ela enviou para o grupo das Mães da escola de esportes do seu filho –e alguma “dama” que provavelmente ama atenção e gosta de fazer outros rirem como forma de aprovação social, considerou adequado publicar em redes sociais para o mundo todo ver.
Um erro honesto – e não, não estou falando da foto sensual – acabou arruinando a vida da família, que não pode mais aparecer em qualquer lugar. Tudo isso porque uma pessoa sentiu a necessidade de se sentir aceita e poderosa, humilhando outra.
Quando afundamos tanto? Quando a desclassificação social de alguém começou a nos trazer a sensação prazerosa de estar em posição superior e no causar um escândalo sem pensar como isso pode afetar drasticamente a vida da pessoa que estamos praticando o bullying?
Não ceda a ser alguém que você não é
Já paramos um momento para considerar a onda letal das nossas ações? A onda de pisar em alguém apenas por ser um indivíduo liberto – algo que todos nós desejamos ser mas somos muito presos ao sistema de tentar impressionar os outros com aparência, posses e talento para sequer tentar, e nos tornar nós mesmos.
Por que parece tão fácil contribuir com a baixa autoestima dos outros, com sua depressão, seus pensamentos e tentativas suicidas, seus medos e ansiedades, suas bagunças e raivas? Sem dúvidas nós estamos na pior situação que a humanidade já viu. Somos cheios de ódio e preconceitos; com desejos egoístas e sem pensamentos sobre o que eu poderia fazer para ajudar meu amigo, irmão ou irmã.
Para você, que lê isso e já foi perseguido, oprimido, atormentado e abusado por outro. Peço desculpas em nome de todos que te deixaram pra baixo, porque o seu poder de individualidade os assustou. Meu conselho para você é: fique forte, não deixe quebrarem você,subjugarem e moldarem você em algo que nunca nasceu para ser. Peço que olhe a todos os outros indivíduos que se recusaram a sucumbir à sociedade e se tornaram pessoas inspiradoras e de sucesso.
Pessoas como David Bowie, cujo a Billboard considerou o “rebelde que mudo a cara da Música”, e Lady Gaga, uma garota única e visionária que foi vítima de bullying, rejeitada e apontada como “aberração” na escola, se tornou mais tarde uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, segundo a revista Times. Tem um artigo maravilhoso sobre o triunfo da Lady Gaga na revista Esperanza, que recomendo a leitura.
A mudança está próxima
Você sabia que você tem a habilidade de ajudar e inspirar as pessoas? Que você pode ser uma benção? Não perca esta oportunidade permitindo que as pessoas que não te conhecem, te mudem.  Peço desculpas por termos nos tornado uma sociedade que se alimenta da derrota dos outros, e que tenhamos nos envolvidos demais conosco mesmos para sequer notar ou se importar com isso.
Para aqueles que participaram ou que apenas observaram passivamente a briga dos praticantes de bullying: seu tempo de abuso, ignorância e indiferença está acabando. Pode não ser hoje ou amanhã, mas está chegando.
Haverá uma geração que vai se levantar como todos os outros que lutaram pela liberdade, mencionados acima, e vai lutar pelos oprimidos, uma geração que escolhe aceitação no lugar de preconceito, e uma geração que prefere o amor ao ódio. Não vai começar como algo grande – vai ser uma brisa suave e refrescante, que te avisa de sua presença e que você sente leve, mas ainda se transforma em algo maior, mais forte – uma ventania que traz uma tempestade tropical
 Assim como MarjaneSatrapidiz em sua entrevista da Vogue com Emma Watson: “a única coisa que pode mudar o mundo é a evolução cultural lenta”.
 Essa evolução está se aproximando – começa com os que querem se levantar, melhorar a si mesmos e lutar pelos que são abusados.
 Eu deixo você com mais palavras inspiradoras de MarjaneSatrapi: “De agora em diante, eu vou mudar a mim mesma, e se eu mudar, mudo também um pouco desse mundo. Vou tentar ser uma pessoa melhor. ”
Espero e rezo para que todos nós comecemos a ser pessoas melhores, que nossa natureza seja baseada no amor – é a única maneira que seremos capazes de construir um amanhã melhor para nós mesmos e para as gerações seguintes.
 

Compartilhe: