Casamentos Falham Quando Casais Ficam Presos Nessas Duas Coisas, Segundo Psicólogos

Casamentos Falham Quando Casais Ficam Presos Nessas Duas Coisas, Segundo Psicólogos

Vida Urbana

Administrador do Site

O casamento é uma das decisões de relacionamento mais discutidas na era moderna. De acordo com a recente pesquisa apresentada no New York Times, é um dos melhores esforços que você pode considerar na vida. Ser casado tende tornar as pessoas mais felizes e mais contentes com suas vidas, especialmente se eles estão enfrentando períodos estressantes na sua vida.

 

As Dificuldades do Casamento: Duas Práticas que podem Prejudicar seu Relacionamento

Embora o casamento possa ser um esforço muito gratificante, no entanto, também é complexo e repleto de inúmeras práticas prejudiciais. Juntamente com as numerosas interações e responsabilidades que ligam os casados, essas práticas podem prejudicar os relacionamentos e em última instância, até acabar com as uniões mais estáveis. De acordo com Peter Pearson, um terapeuta e co-fundador do Instituto de Casais, no entanto, mais de 60% dos casais com quem ele lida encontram-se presos em uma de duas dessas práticas.

 

Então, exatamente quais são essas práticas e como elas se manifestam? Vamos dar uma olhada:

 

Uma Prática Sobre Evitar Conflitos

A primeira é conhecida como a prática de evitar conflitos, que é definida pelo medo e uma situação onde as consequências e sentimentos de falar sobre um assunto superam os potenciais benefícios de começar um diálogo. Essa prática geralmente se desenvolve entre um parceiro dominante e submisso, com o último tornando gradualmente complacente à medida que compromete seus próprios pensamentos, sonhos e desejos, a fim de manter o interesse do primeiro. Essa prática no extremo, pode se manifestar através de qualquer coisa, de compras e escolha dos móveis da casa para decisões sobre mudanças ou começar uma família.

 

Isso não significa necessariamente que um dos cônjuges está controlando o outro, no entanto, os valores e o instinto de cada um começa a surgir à medida que passa o tempo em um relacionamento. Isso traz mecanismos indiretos de resistência e comportamento instintivo, levando a um colapso nas comunicações e o declínio de um casamento. Ao longo do tempo, a única maneira de evitar tal destino é passar pelo que é conhecido como um processo de diferenciação, através do qual ambas as partes se esforçam para reconhecer os traços de caráter de si mesmo e do seu parceiro.

 

Isso permite que os casais entendam as diferenças que existem dentro do seu relacionamento, ao mesmo tempo, possibilita que ambas as partes iniciem uma comunicação positiva. Considerando conta que a prática de evitar conflitos é uma das principais, causas de divórcio na idade moderna, este é um processo que o casal deve se esforçar durante o casamento.

 

Uma Prática Dependente de Hostilidade

Uma prática dependente de hostilidade é outra das principais causas de divórcio e é mais provável de ocorrer em casais onde ambas as partes são muito controladores. Neste tipo de relacionamento, ambos os indivíduos procuram tomar o controle e empurrar suas próprias opiniões dentro da relação, sem escutar ou compreender o outro.

 

Uma das manifestações mais óbvias disso é o desenvolvimento de uma cultura culpada, onde ambas as partes se deliciam em apontar e fazer acusações desnecessárias. Então, assim os casais começam a discutir mais, cada membro que faz uso da prática dependente de hostilidade tentará definir o problema a partir de uma perspectiva subjetiva (apenas a opinião de um dos lados) e determinar falhas em seu parceiro.

 

É necessário resolver de forma semelhante neste caso, embora a solução sobre evitar conflitos seja muito mais difícil pela mentalidade relativamente dominante e teimosa de ambos os parceiros. Compromisso é a palavra-chave aqui, pois é crucial que cada indivíduo reconheça suas próprias falhas e o impacto que estas têm sobre o seu relacionamento. Mais importante ainda, eles devem aprender a considerar argumentos e disputas a partir de uma perspectiva objetiva (considerando a opinião do outro), ao mesmo tempo, ouvir os pontos de vista dos seus entes queridos.

 

A Palavra Final

Embora estas duas práticas prejudiciais estão entre as causas mais comuns de divórcio e problemas de relacionamento, elas não são insuperáveis, desde que os casais estejam dispostos a trabalhar em melhorar seu casamento. Comunicação e boa vontade de ouvir são cruciais, assim como tirar tempo para compreender os conjuntos de valores e perspectivas sobre a vida de cada um.

 

Compartilhe: